A força do mercado de autopeças tem feito o setor ficar mais online do que nunca. Saiba como os fabricantes MTE-Thomson, Delphi, Bosch, DS e Perfect estão usando a rede para pescar novos negócios

Quando o diretor de marketing Alfredo Bastos Junior entrou para trabalhar na empresa brasileira de peças automotivas MTE-Thomson, em 1988, nem passava pela sua cabeça que um dia os produtos da marca pudessem ser adquiridos por qualquer pessoa através de um clique. Mas, 29 anos depois, os mais de 3 mil itens do portfólio podem ser encontrados em um portal na internet, que funciona no modelo marketplace, reunindo varejistas de todo o Brasil. “Hoje, quem não está online está perdendo venda”, disse Bastos, durante a 13ª edição da Automec, principal feira do setor de autopeças, equipamentos e serviços da América Latina, que ocorre até sábado, dia 29, em São Paulo. “Não dá para encontrar todos os livros do mundo em uma única livraria, como é impossível uma só loja de autopeças atender às necessidades de todos os tipos de veículos”. A solução para esse quebra-cabeça automotivo? Acelerar as vendas pela internet através de uma exposição inteligente. “Apostamos em um conceito para beneficiar o fabricante, o varejista e o comprador”. A expertise por trás do negócio virtual é da plataforma Canal da Peça, que, de uma forma descomplicada, liga o fabricante à lojistas, oficinas mecânicas e compradores finais de todas as partes do País. Em poucas palavras, um shopping virtual para os amantes e prestadores de serviço do setor.

mte-768x5122x

“Hoje, quem não está online está perdendo venda”, diz Alfredo Bastos Junior (MTE-Thomson)

Assim como em um centro de compras, o usuário pode pesquisar produtos, preços e encontrar varejistas que tenham o produto que precisa. “Nosso catálogo está disponível com fotos e modo de aplicação dos itens”, afirma Bastos, que está animado com a expectativa de bons negócios. O entusiasmo, no entanto, não se limita ao portal. Durante a Automec, a companhia lançou o aplicativo, nos mesmos moldes do site, também arquitetado pelo Canal da Peça. “Estamos disponibilizando frete grátis na primeira compra para quem baixar o app durante a feira”. Até a última quarta-feira, 26, o aplicativo teve mais de 600 downloads. No médio prazo, a empresa estima que 15% de suas vendas virão das duas ferramentas. “Temos que disseminar a cultura de venda de autopeças virtualmente. Algumas pessoas ainda têm preconceito em fazer compras pela internet. Mas estamos confiantes nos bons resultados que teremos na rede”.

img_4308-768x5122x

“A venda de autopeças pela internet já é um fato”, afirma Arnaldo Leonardo (Delphi)

A tecnologia também é uma das peças fundamentais da americana Delphi. Isso é logo percebido em seu estande, na Automec, onde uma das atrações é uma réplica de um carro autônomo. Além de velas de ignição com tecnologia Blue Power e mais de 150 lançamentos, o canal de vendas da marca ganhou destaque no evento. “Cada vez mais, o mecânico e o consumidor final têm acesso à internet. E eles quem ir além das pesquisas: anseiam por compras e promoções”, diz Arnaldo Leonardo, diretor comercial da divisão de aftermarket da Delphi no Brasil. “A venda de autopeças pela internet já é um fato. E uma plataforma especializada neste setor é a maneira certa para vender e comprar na web”. O momento para o investimento digital foi estratégico. “As montadoras estão vendendo menos por conta da crise econômica. Consequentemente, as pessoas estão fazendo mais reparações em seus veículos”. A comprovação vem em números: a receita global da companhia em 2016 foi de US$ 16,7 bilhões – 12% maior do que em 2015. No entanto, a representatividade do Brasil no montante não foi revelada. “Também vamos oferecer descontos e vantagens no site, assim, fidelizaremos mais clientes”, afirma Leonardo.

Segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), a receita bruta do mercado de reposição de veículos na categoria leve cresceu 5,80% em 2016 em comparação ao ano anterior. Para atender a demanda dos consumidores, a Automec aumentou em 27% o espaço atribuído à manutenção de veículos este ano, de acordo com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, empresa responsável pela organização do evento. Ao todo, a feira é palco de exposição para mais de 1,5 mil marcas nacionais e internacionais, e estima receber 70 mil visitantes.

“Desde que lançamos o portal, há pouco mais de um ano, nossa audiência vem subindo bastante”, diz Fábio Juliato (Bosch)

“Desde que lançamos o portal, há pouco mais de um ano, nossa audiência vem subindo bastante”, diz Fábio Juliato (Bosch)

O sucesso do setor fez a alemã Bosch também se interessar pela web. “Desde que lançamos o portal, há pouco mais de um ano, nossa audiência vem subindo bastante”, diz Fábio Juliato, gerente nacional de trade marketing da Bosch. “Fizemos uma ação na Black Friday, através da plataforma, alcançando 90 mil usuários. Batemos nossas metas e realizamos boas vendas”. De olho na ascensão do mercado digital, marcas que ainda estão offline não descartam sua estreia na rede. “Ainda não temos um site exclusivo de vendas, mas, por conta da tendência, não queremos ficar para trás”, afirma Renato Schimitt, gerente da divisão de aftermarket da catarinense Schulz. Já a empresa Bins, sediada no Rio Grande do Sul, deu o primeiro passo rumo à tecnologia com a digitalização de seu catálogo. “Vamos continuar investindo na internet e acreditamos que, com uma plataforma completa, rica em informações como o Canal da Peça, teremos uma solução para a comercialização de peças sem muito giro”, diz Sérgio Ferandin, diretor superintendente da empresa.

perfect-mina-768x5122x

“Ninguém quer mais esperar ou sair de casa para comprar uma peça”, afirma Debora Coronado (Perfect)

cara-768x5122x

“É importante manter um relacionamento alinhado com o varejista. A plataforma permite isso”, diz Higor Mattos (DS)

A boa interação entre fabricante e varejista é um dos mandamentos fundamentais por trás das boas vendas. Na internet, a regra não pode ser diferente. “É importante manter um relacionamento alinhado e a plataforma permite isso. Vejo como uma ferramenta de auxílio para todos”, afirma Higor Mattos, analista de marketing da empresa brasileira DS. “Lançamos a nossa página há mais de um ano e estamos bem felizes com o resultado”. Antes de investir na web, a fabricante Perfect entrou nas redes sociais para checar a carência do setor. E se surpreendeu com a pesquisa. “Vimos que muitos compradores finais vão atrás do fabricante, sem passar pelo varejista antes. Por isso, decidimos investir em um canal que fosse bom para todos”, afirma Debora Coronado, gerente de marketing da companhia brasileira. “A agilidade também é um fator decisivo. Ninguém quer mais esperar ou sair de casa para comprar uma peça”. Ganhar tempo, nos dias de hoje, é imprescindível para todos. Afinal, tempo também é dinheiro no mercado de autopeças.